ARDEVERBO


Links
Desenhos
Gisele Quer Morrer
Comunicação Exponencial
A Saga de Barackão
Rua Bosta
Tira bom, tira ruim
8-tracks Mixtapes

antigos
| 06/05/2008 |
| 03/06/2008 |
| 18/06/2008 |
| 01/07/2008 |
| 16/07/2008 |
| 22/07/2008 |
| 29/07/2008 |
| 06/08/2008 |
| 18/08/2008 |
| 02/09/2008 |
| 09/09/2008 |
| 16/09/2008 |
| 28/09/2008 |
| 11/10/2008 |
| 24/10/2008 |
| 08/11/2008 |
| 12/01/2009 |
| 27/01/2009 |
| 10/02/2009 |
| 09/03/2009 |
| 24/03/2009 |
| 02/04/2009 |
| 15/04/2009 |
| 18/05/2009 |
| 03/06/2009 |
| 20/06/2009 |
| 18/07/2009 |
| 09/08/2009 |
| 27/08/2009 |
| 16/09/2009 |
| 28/11/2009 |
| 25/01/2010 |
| 08/03/2010 |
| 25/06/2010 |
| 28/07/2010 |
| 21/02/2011 |
| 31/07/2011 |
| 29/01/2013 |
| 05/05/2013 |

Script para A Trilogia do Diabo - parte 3


Script para A Trilogia do Diabo - parte 3



A mulher agora anda pela rua, passeando. Num cruzamento, ela vê um trabalho de macumba: prato com arroz, frango, farofa, velas. Além disso, uma máscara de demônio. Ela olha para os lados, para ver se está sendo observada, e pega para si a máscara.

Ela chega na sua casa e vai ao banheiro. Dá uma ajeitada nos cabelos e veste a máscara. Fica se admirando no espelho. A partir daí não tira mais a máscara. Escova os dentes com a máscara. Sai do banheiro e vai para a sala. O telefone toca. É a mãe da mulher:

- Minha filha, tá tudo bem contigo?
- Sim.
- Da última vez, tu parecia tão fraquinha... tu tá comendo direitinho?
- Ai, mãe, deixa.
- Tu precisa se recuperar, filha...
- Tá bom, mãe, deixa eu ir agora... tchau. - desliga o telefone.

Vai para a cozinha. O sapo de cerâmica está na mesa. Ela não dá bola. Pega na geladeira presunto e queijo. Há um único pão num saco. Ela percebe que está muito duro e que não vai poder fazer um sanduíche. A campainha toca.

Ela vai até a porta atender. É um mendigo:

- Pois não?
- A senhora poderia por favor aceitar um pãozinho do pobre mendigo?

Ele passa pra ela um pão. Ela aceita e ele vai embora. De volta à cozinha, ela vai preparar o sanduíche. Fatia o pão, e de dentro sai uma nota de 1 real, em que se lê: o fim.

Ela pega a nota, enfia no sapo de cerâmica, faz o sanduíche, abre a geladeira pra guardar o presunto e o queijo. O telefone toca novamente. Com pressa para atender, ela guarda o sanduíche também. Sai de cena.


Por Thiago F. * 08:18 * terça-feira, 29 de julho de 2008